CJP-DF se Rejubila com a Nomeação de Dom Marcony para o Arcebispado do Ordinariado Militar do Brasil

A nomeação de Dom Marcony Vinícius Ferreira para o Arcebispado do Ordinariado Militar do Brasil foi recebida com muita alegria pela Comissão Justiça e Paz de Brasília, por duas razões principais.
​A primeira porque a escolha do Papa Francisco, assessorada pela Nunciatura, representa um reconhecimento de um sacerdócio exemplar na Igreja de Brasília. Dom Marcony é o primeiro seminarista ordenado padre e consagrado bispo, nascido em Brasília.

Foto - Arquidiocese de Brasília
Arquidiocese de Brasília

​Aqui, desde adolescente, já coroinha na Paróquia da Vila Planalto, teve sua formação eclesial sob a orientação de dois grandes mentores: o “padre” Geraldo Ávila, então Pároco da Vila Planalto; e o “Padre” Raymundo Damasceno, então Vigário Paroquial.
​Dom Marcony, que depois estudou no seminário menor e em seguida concluiu sua formação ao presbiterato no Seminário Maior N.S. de Fátima no Lago Sul, foi ordenado presbítero pelo Cardeal Dom Falcão, o Bispo sob cujos auspícios, a CJP DF instalada originalmente na CNBB, foi institucionalizada na Arquidiocese de Brasília.
​Dom Marcony concluiu em Roma seus estudos em Liturgia, mas logo retornou a Brasília e, após a sua a ordenação em 1988, foi nomeado pároco na Paróquia N.S. do Rosário de Fátima, em Sobradinho-DF, sucedendo o padre Jésus da Rocha que viria a ser ordenado bispo Auxiliar de Brasília. Nesse seu mister Dom Marcony consolidou a sua sólida qualificação litúrgica, e também a vocacional naqueles atributos que formam o canône, além da idade mínima e o tempo de ordenação, que abrem a senda para a consagração episcopal: fé sólida, bons costumes, piedade, prudência e boa reputação. Foi o primeiro Bispo brasiliense elevado a essa condição.
Agora Dom Marcony foi nomeado pelo Papa Francisco como Arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil. Este é o cargo criado pela Bula Militum Cura do Papa João Paulo II, pela qual Dom Geraldo do Espírito Santo Ávila foi nomeado o 1º Arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil. Não são poucas as razões de satisfação, diante de um percurso tão bem orientado.
​A segunda razão se deve à gratidão. Ainda que na CJP-DF outros bispos tivessem contribuído para o acompanhamento teológico e doutrinário da Comissão, entre eles Dom Leonardo Steiner (da CNBB e hoje Bispo de Manaus), na Cúria, Dom Marcony com suas múltiplas atribuições, sempre ofereceu à Comissão a melhor disposição de apoio e de compreensão em relação a sua missão pastoral, tão necessárias quanto mais exigentes não sejam os chamados de posicionamento para a defesa misericordiosa da paz, dos direitos humanos e da justiça.
​Com esses atributos, certamente, o novo Arcebispo muito contribuirá em sua nova missão, para realizar um Ordinariado sensível em face das expectativas sociais que recaem e desafiam a missão militar num país tão desigual e com tantas expectativas de atendimento às necessidades de reconhecimento e de direitos do Povo de Deus.

Por Comissão Justiça e Paz

Você pode gostar também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.