Comunicação Social e o Compromisso com a Verdade – 20/04/2018

“Educar para a verdade significa ensinar a discernir, a avaliar e ponderar os desejos e as inclinações que se movem dentro de nós, para não nos encontrarmos despojados do bem, ‘mordendo a isca’ em cada tentação.”

Papa Francisco, mensagem para o 52º Dia Mundial das Comunicações Sociais, 2018.

A Comissão Justiça e Paz de Brasília (CJP-DF) realizará, no próximo dia 7 de maio, a 44ª “Conversa de Justiça e Paz”, com o tema: “Comunicação Social e o Compromisso com a Verdade”. A fim de desenvolver a reflexão e fomentar o debate com a sociedade sobre tema tão atual e relevante, contaremos com a ilustre e especializada contribuição de Venício Artur Lima, professor de Ciência Política e Comunicação da Universidade de Brasília.

Venício Artur Lima é professor emérito da Universidade de Brasília (2017). Graduado em Ciências Sociais/Sociologia pela UFMG (1969), mestrado (1974), doutorado (1979) e pós-doutorado (1988) em Communications pela University of Illinois at Urbana-Champaign. É também pós-doutor pela Miami University-Ohio (1991) e especialista em História do Cristianismo Antigo pela UnB (2009). Professor Titular de Ciência Política e Comunicação da UnB (aposentado) é pesquisador senior do Centro de Estudos Republicanos Brasileiros (CERBRAS) do DCP-FAFICH-UFMG e membro (eleito) do Conselho Curador da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), 2014-2018 [mandato cassado pela MP 744 de 01/09/2016]. Tem experiência nas áreas de Ciência Política e Comunicação atuando principalmente nos seguintes temas: pensamento de Paulo Freire; mídia e política; liberdade de expressão; liberdade da imprensa; políticas públicas, legislação e economia política da mídia.

Preocupado com a atual disseminação das chamadas “fake news” (notícias falsas), especialmente no interior das redes sociais, mas também por meio de veículos tradicionais de comunicação social, o Papa Francisco, em mensagem divulgada no mês de janeiro deste ano de 2018, chama a nossa atenção para a relação entre a comunicação social e seu indispensável compromisso com a verdade. De acordo com o Santo Padre, estas “notícias” verossímeis — aquilo que parece intuitivamente verdadeiro, mas não é — são capazes de chamar a atenção dos leitores, apoiadas sobre estereótipos e preconceitos generalizados, e explorar emoções como ansiedade, desprezo, ira e frustração.

As notícias falsas, que segundo Francisco tem objetivos prefixados, tais como influenciar opções políticas e favorecer lucros econômicos, devem ter sua lógica desmascarada em nome da verdade que liberta. Pois, para o Pontífice, as “fake news” geram ambientes digitais de confronto, de descrédito do outro, que passa a ser visto como um inimigo.

No Brasil, já podem ser sentidos os danosos efeitos desse fenômeno contemporâneo, cujo exemplo mais pungente foi a campanha difamatória contra a vereadora Marielle Franco (PSol-RJ), que se espalhou pelas redes sociais logo após o seu brutal assassinato no centro do Rio de Janeiro, ocorrido em março e até o momento ainda não desvendado. Diversas mensagens foram espalhadas e repassadas na internet, inclusive por autoridades do Legislativo e do Judiciário, alegando, entre outras falsidades, uma relação da vereadora com criminosos, com o indisfarçável objetivo de manchar sua memória e colocar em dúvida as reações contundentes da sociedade em repúdio ao crime de contornos políticos que ceifou a sua vida e a do motorista do veículo em que trafegava Anderson Gomes. No entanto, lamenta Francisco, as mentiras divulgadas ávida e instantaneamente pelas redes sociais “ganham tal visibilidade que os próprios desmentidos categorizados dificilmente conseguem circunscrever os seus danos”.

No momento em que se aproxima o período das eleições gerais e as estratégias de comunicação e propaganda política parecem bastante tentadas a ceder aos supostos ganhos eleitorais que esse infame modelo de falsidades e distorções dos fatos promete a quem deles se utiliza, reforçamos o convite à reflexão livre e consciente em torno dessa temática, que será objeto de nossa próxima Conversa de Justiça e Paz, no dia 7 de maio, às 19h, na Cúria Metropolitana, junto à Catedral. O evento terá transmissão ao vivo pelo perfil da Comissão Justiça e Paz de Brasília no Facebook e será veiculado na programação da TV Comunitária de Brasília, canal 12 da Net.

Comissão Justiça e Paz de Brasília – CJP-DF

You May Also Like

One thought on “Comunicação Social e o Compromisso com a Verdade – 20/04/2018

  1. Excelente inciativa. Temos que trabalhar pela educação para a verdade esta é a abordagem correta quando se fala em uma comunicação baseada na falsidade da informação. Mais uma vez o Papa Francisco traz luz para esta discussão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *